top of page
  • ABP

ABPTV debate transtornos fóbico-ansiosos


Os transtornos fóbico-ansiosos são um conjunto de transtornos nos quais uma ansiedade é desencadeada exclusiva ou essencialmente por situações e/ou objetos que representem perigo real ou não, são suportados com sofrimento e/ou evitados.


Estão presentes neste grupo agorafobia, fobias sociais, fobias específicas. Entre os principais sintomas estão desconforto a uma sensação de pavor, podem causar tonturas, sensação de desmaio, palpitações, tremores, suor, mãos frias, entre outros.


Como fazer o diagnóstico diferencial entre estes transtornos de ansiedade? Qual o melhor tratamento para cada quadro? Estas e outras perguntas serão respondidas no ABPTV da próxima terça-feira, dia 17 de novembro, pelos doutores Antônio Egídio Nardi, Leandro Ciulla e Márcio Bernik.


Conheça melhor os participantes abaixo:


  • Dr. Antônio Egídio Nardi: Professor Titular de Psiquiatria da Faculdade de Medicina – Instituto de Psiquiatria – da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Coordenador do Laboratório de Pânico e Respiração e do Ambulatório de Depressão Resistente do Instituto de Psiquiatria – Universidade Federal do Rio de Janeiro

  • Dr. Leandro Ciulla: Preceptor de Residência Médica em Psiquiatria e do Ambulatório de Neuropsiquiatria Geriátrica do Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); Professor Titular do Curso de Especialização em Psiquiatria Cyro Martins.

  • Dr. Márcio Bernik: Doutorado em Psiquiatria pela Universidade de São Paulo, médico assistente do Hospital das Clínicas de São Paulo.


O programa ABPTV é transmitido ao vivo pelo Facebook da ABP,Canal ABPTV no Youtube, pelo Instagram da ABP (@abpbrasil) ou pelo site da Associação. Participe você também enviando suas perguntas pelos espaços de comentários das transmissões ou pelo Linha Direta no site da ABP, clicando aqui.

Posts recentes

Ver tudo

As escolas são ambientes de aprendizagem e desenvolvimento social para os adolescentes, um local que deve ser reconhecido como seguro. Porém, infelizmente, muitos adolescentes vivenciam práticas de co

bottom of page