top of page
  • ABP

"Psicoterapia de Orientação Analítica" é o tema do próximo ABPTV


A psicoterapia é uma das quatro possíveis áreas de atuação na psiquiatria. A psicoterapia de orientação analítica é uma das abordagens que podem ser utilizadas para o tratamento das doenças mentais.


Baseada na psicanálise, a orientação psicanalítica possui objetivos diferentes e menor duração do que o método desenvolvido por Freud. Ela é focada nas mudanças adaptativas, com a intenção de melhorar a relação entre o paciente e a sociedade.


Mas quando escolher a psicoterapia de orientação analítica? Para quais casos ela pode ser aplicada? Essas e outras perguntas serão respondidas no ABPTV da próxima terça-feira, 16 de fevereiro, com o tema "Psicoterapia de Orientação Psicanalítica".


Participarão do debate os doutores Cláudio Martins, Marcos Gebara e Graziela Vargas. Conheça melhor os participantes abaixo:


- Cláudio Martins

Médico psiquiatra, Mestre em Psiquiatria pela Universidade de Londres, professor e preceptor da residência em Psiquiatria da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, vice-presidente da ABP, presidente da Associação Psiquiátrica Cyro Martins.


- Marcos Gebara

Médico psiquiatra clínico e forense, psicanalista, Diretor Regional Sudeste da ABP, membro da Câmara Técnica de Psiquiatria do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj), vice-coordenador do Departamento de Psicoterapia da ABP.


- Graziela Vargas

Médica psiquiatra, Título de Especialista em Psiquiatria AMB/ABP, Diretora Tesoureira da Associação Psiquiátrica Cyro Martins.


O programa ABPTV é transmitido ao vivo pelo Facebook da ABP, Canal ABPTV no Youtube, pelo Instagram da ABP (@abpbrasil) ou pelo site da Associação. Participe você também enviando suas perguntas pelos espaços de comentários das transmissões ou pelo Linha Direta no site da ABP, clicando aqui.


Posts recentes

Ver tudo

As escolas são ambientes de aprendizagem e desenvolvimento social para os adolescentes, um local que deve ser reconhecido como seguro. Porém, infelizmente, muitos adolescentes vivenciam práticas de co

bottom of page