ABP alerta pais e responsáveis sobre o compartilhamento de vídeos

Atualizado: 27 de Mar de 2019


Nesta semana, a Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP publicou um alerta em suas mídias sociais direcionado a pais e responsáveis. Diante do compartilhamento de vídeos e imagens que fazem apologia ao suicídio, a instituição posicionou-se relembrando os aspectos prejudiciais da divulgação desse tipo de material.


No vídeo, o Dr. Antônio Geraldo da Silva, superintendente e diretor da ABP, chama a atenção para a necessidade de alertar sobre os acontecimentos sem compartilhar as imagens em questão. A divulgação de material que se relacione com o suicídio contendo instruções já é proibida por lei, conforme abaixo:

  • Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014: altera o Marco Civil da Internet para incluir procedimento de retirada de conteúdos que induzam, instiguem ou auxiliem ao suicídio de aplicações de internet;

  • Art. 122 do Código Penal: induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça constitui crime contra a vida, sob pena de reclusão de dois a seis anos, se o suicídio se consuma, ou de um a três anos, se a tentativa resulta em lesão corporal de natureza grave.

Médicos psiquiatras precisam estar alertas ao compartilhamento deste tipo de vídeos para orientar corretamente a população sempre que necessário. Confira abaixo o alerta da ABP sobre o tema.