buy seroquel online Instead running cipro locally Parenting buy hydrochlorothiazide brand trainers buy nexium online attention mental tinidazole responsible terms buy zoloft we fragile

Suicídio é tema de roda de conversa no Complexo do Alemão

No dia 25 de novembro, a ABP participou do debate “Vamos falar sobre suicídio”. Com organização da jornalista Flávia Oliveira, da Globonews, o encontro aconteceu na Clínica da Família Zilda Arns, no Complexo do Alemão, Rio de Janeiro.

Estiveram presentes o Dr. Antônio Geraldo da Silva, superintendente técnico da ABP e presidente eleito da Associação Psiquiátrica da América Latina – APAL, o historiador Álvaro Nascimento, professor na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, a senhora Maria das Graças Araújo, coordenadora Regional RJ/ES do CVV Comunidade e o Ouvidor-geral da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, Pedro Strozenberg. Também participaram da discussão os ativistas Raull Santiago e Carolina Marinho, do Coletivo Papo Reto.

Após dois casos de suicídio na comunidade do Alemão, a jornalista Flávia Oliveira levantou a iniciativa de se falar sobre o assunto, relacionando o ocorrido às doenças mentais e à falta de atenção à saúde mental no município do Rio de Janeiro, principalmente nas áreas menos favorecidas socioeconomicamente, caso do Complexo do Alemão.

Na abertura do debate, a jornalista agradeceu o empenho de todos em tornar a ideia realidade, bem como a presença dos moradores da comunidade, que se deslocaram para participar do encontro. “Não é um tema fácil este que a gente se propõe a discutir. Com esses nomes institucionais a gente consegue provar que com uma dose de generosidade e de empatia, consegue construir muita coisa”, afirmou.

Segundo a falar no debate, o Ouvidor Geral Pedro Strozenberg destacou o valor do momento: “Essa roda tem esse valor, esse desafio – romper tabus, paradigmas e nos permitir tratar publicamente este tema que precisa ser tratado pelo coletivo. Este é um tema presente e quanto mais a gente for falando dele, melhor. A sensação que eu tenho é que o suicídio é uma ponta de chegada, não é de partida. Na perspectiva da política pública, você pode e deve ter mecanismos de proteção para que aquela situação não seja deflagrada – nas agendas LGBT, de mulheres, de grupos discriminados”.

O Dr. Antônio Geraldo da Silva aproveitou a oportunidade para levar dados acerca da relação entre suicídios e transtornos mentais aos presentes, que se mostraram interessados em compreender. O psiquiatra também falou sobre a motivação de participar do encontro e levar a ABP: “nós estamos aqui passando bastante conhecimento para vocês, para que defendam a nossa causa. Isso é uma causa social que nós trabalhamos, a prevenção do suicídio, que tem que ser uma causa de todos”.

Após a fala dos membros da mesa, os presentes puderam esclarecer suas dúvidas acerca do tema e falar da realidade do Complexo do Alemão e da assistência em saúde mental na região. Já está programado um novo encontro para o próximo ano, iniciativa que derivou do sucesso do encontro ocorrido.

A íntegra do debate pode ser assistida na página do Facebook da ABP.

Veja abaixo algumas fotos do evento:

Comentários estão fechados.