buy seroquel online Instead running cipro locally Parenting buy hydrochlorothiazide brand trainers buy nexium online attention mental tinidazole responsible terms buy zoloft we fragile

Conselho Federal de Medicina aprova resolução que extingue a Comissão Nacional de Acreditação

 

Publicada em fevereiro de 2012 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), a Resolução 1984/12 revoga outra Resolução, a 1772/2005, que criava a Comissão Nacional de Acreditação (CNA) responsável por elaborar normais e regulamentos para a Certificação de Atualização Profissional para os portadores de títulos de especialista.
Além de criar a CNA, a Resolução 1772/2005 também determinava no seu Artigo 1º que os portadores dos títulos de especialista e certificados de áreas de atuação emitidos a partir de janeiro de 2006 teriam o prazo de até cinco anos para se submeterem obrigatoriamente ao processo de certificação de atualização profissional, sob pena de perda do registro desses títulos e/ou certificados.
A partir de agora, a Associação Médica Brasileira (AMB), suas federadas e as sociedades de especialidades podem criar regras próprias para o incentivo da qualificação profissional do médico, mas não poderão determinar a perda dos títulos de especialista e certificados de área de atuação já emitidos.
O 3º vice-presidente do CFM, Emmanuel Fortes, esclarece que a Comissão Nacional de Acreditação era formada por representantes do CFM e AMB visando estabelecer critérios para a obtenção do título de especialista e certificados de áreas de atuação, mas após uma longa discussão e análise junto aos Conselhos Regionais, o Conselho Federal considerou que os títulos e os certificados não poderiam ser ‘caçados’ ou considerados sem validade. “Uma vez obtido, seja pela Residência Médica ou prova especifica na Sociedade de Especialidade, o título ou certificado nunca serão considerados sem validade. Com a Resolução do CFM, a AMB e as sociedades de especialidades provavelmente vão procurar outras fórmulas e critérios para incentivar a atualização profissional que é necessária para a pratica clínica diária”, completou.